domingo, 1 de julho de 2007

Escrevo porque...


Marina Costa

Até a poucos minutos atrás nunca me havia feito esta pergunta. Para mim eu escrevia e pronto. Lógico que gosto de ouvir um elogio cá, outro acolá. Mas, como minhas criações são recentes e ficam apenas sobre minhas grandes asas, eu escrevia simplesmente pelo prazer de vê-las crescer!

Mas eis que me cai nas mãos um texto do Frei Beto. Se você não o conhece só posso lamentar. Mas no texto, “Por quê Escrevo?”, ele discorreu sobre o tema. E me deixou tão maravilhada com suas palavras que fiquei com vontade de fazer delas as minhas próprias.

Isso não seria muito bonito. Pois aquele cara ali - não você que não sabe mesmo de quem se trata - mas aquele cara de óculos ali, com cara de inteligente está vendo? Pois é, ele sabe muito bem quem é o Frei Beto. Então, quando ele lesse meu texto diria, fazendo uma careta de desprezo: “ei, essa menina é uma plagiadora sem brio”!!! E assim estaria morta minha embrionária carreira de escritora.

Cheguei a conclusão então que posso explicar por mim mesma por quê escrevo. Logicamente, agora terei muita influência do que li. Mas, como diria Lavoisier, “nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.

Sem mais enrrolação, eu escrevo porque eu gosto oras! Isso não basta, eu sei! Mas esse seria o meu maior motivo. Escrevo porque gosto de perceber que há mais em mim do que eu mesma suponho. Porque gosto de imaginar um mundo quente e colorido no frio papel em branco. Porque minha cabeça alucinada, que viaja com uma velocidade bem maior do que a da luz no vácuo, precisa se organizar de vez em quando para não entrar em um buraco negro de outra galáxia e sumir.

Escrevo porque o mundo é bonito demais para ficar só na lembrança. E também porque ele é feio demais para caber apenas no meu revoltado coração.

Escrevo porque não sei dizer tudo o que penso com a boca. Precisaria de muito mais bocas para isso. Então Deus me deu dedos.
Eu escrevo também porque assim me sinto criadora. Olho com carinho para minhas criaturas e, mesmo que elas pareçam aberrações para uns, lanço-as ao mundo com orgulho, porque são partes reais de mim.

Posso resumir tudo isso em poucas palavras: escrevo porque vivo! Alguns pensam que vivem por pensarem. Outros apenas vivem por dizer, sorrir ou chorar. Outros ainda vivem sem saber que vivem ou acham que vivendo entenderão o que é viver.

Eu escolhi tudo e faço disso o livro da minha vida.

Tirem tudo de mim, roubem meus sonhos, atirem lama em minhas virtudes, elevem ao ápice meus pecados, mas o que sou e sinto estará para sempre gravado pelo fogo da pena nas páginas da minha existência sutil.

2 comentários:

  1. Eu diria que vc escreve para eu ler....hahaha pois adoro ler suas criaçoes...Esta entaoooooooo belissima...Está de parabens amiga!!!!!!Daqui uns dias vou estar nos lançamentos de seus livros...e claro quero um autografo!!!!Abraços...Thalita MAris

    ResponderExcluir
  2. aaaah, essa é uma das mais bonitas! Uma auto-explicação pra tratar de uma condição que cada vez mais é vista como estranha aos olhos comuns, embra seja essencial pra nós. Pra quê escrever afinal? Isso me lembrou uma crônica excelente do Paulo Mendes Campos:

    "Todos nós (escritores) somos tratados com uma solicutude que chega a lembrar a ternura. Mas é medo. Medo de que o escritor entre na conversa com palavras difíceis e conceitos arrevesados. Medo de que cuspa na mesa uma torrente de palavrões. Medo de que comece a fazer o panegírico de si mesmo e passe aos recitativos. Medo que beba e coma e saia sem pagar a conta. Medo de que chame os presentes de imbecis. Medo qe esteja fazendo uma coleta de material. Medo de que não tenha tomado banho. Medo de que cante alguém. E medo enfim, medo sutil, de que ele seja uma pessoa normal, um escritor".

    hahahaha

    e sobre a sua crônica, esse parágrafo é fantástico:

    "Escrevo porque o mundo é bonito demais para ficar só na lembrança. E também porque ele é feio demais para caber apenas no meu revoltado coração."

    Bem isso que eu sinto também!

    e o final, arrebatador!!! Daqueles que deixam a gente extasiado, e pra quem não escreve, fica a certeza que vc faz uma das atividades mais bonitas, e que isso é mto importante!

    também vou querer autógrafo heein!?

    Rike

    ResponderExcluir

Para contato, nosso email é vidanacronica@gmail.com