domingo, 19 de agosto de 2007

Cores


Marina Costa
Sábado cor de rosa choque. Sinal verde. Amiga lilás dando grandes sorrisos vermelhos, cor de fogo. Paixão que vai e vem. Suco de laranja. Abraços dourados com desejos de se cuida. Namorado rosa. Namorada azul. Encontro a dois, mais uma vez multicolorido. Música bacana, às vezes amarela, outras branca. No copo, refrigerante marrom, cheio de bolinhas invisíveis que fazem cócegas na boca. Mais um motivo pra sorrir.

Início da manhã cor de pêssego. Com aquele cheiro doce da fruta. Bom dia com cor de sol. Brilhante. Manhã de brisa. Yin e Yang espreguiçando. No escuro que eu não me permitia ver percebi o lado claro da vida. Mais sorrisos cor de pêra.

Almoço meio roxo. Doce e salgado misturados na barriga. Mas é domingo, tudo é permitido. Dia meio cinza que com o arco íris da vida fica lindo. Arco íris que esteve aqui sempre. Mas como diz uma música que agora não lembro a cor, somente o amor ajuda a iluminar certas trevas...

Chegando segunda, dia bege. Sem cheiro e cheio de uma preguiça inútil. Antes disso adormeço, mergulhando no mais profundo negro. No fundo dos meus sonhos revejo a aquarela da minha vida. Cada dia um tom diferente. E cada tom pintando uma lição de urgência que só pode ser preenchida com minha caixa de lápis de cor.

Um comentário:

  1. uiaaa.. achei esse diferente do jeito que costuma escrever, mas igualmente interessante e instigante! além de profunda, pois essas relações entre as cores e as coisas escondem significados maiores e belos! "E cada tom pintando uma lição de urgência que só pode ser preenchida com minha caixa de lápis de cor." Caramba! Eu muitas vezes tenho pintado as coisas com as cores erradas :(.
    Essa também é mais curtinha, daquelas que deixam gosto de "quero mais" huaha, mas pra mim tá no tamanho certo pra se fazer entender e ficar bonita.. bjuus

    ResponderExcluir

Para contato, o email é vidanacronica@gmail.com