sábado, 15 de maio de 2010

Inconsciente

Sonhei com Tamara na mesma noite em que ela sonhou comigo. Não lembro de muitos detalhes, e tampouco lembra ela. Segundo ela, estávamos em Brasília – não sei. Sei apenas que a aparição de Tamara se deu de forma natural: aconteceu de estar no meio de outras pessoas que eu conhecia. E, por ser assim, nada houve que pudesse lembrar o nosso passado em comum. E nada haveria a ser contado se não fosse por essa estranha coincidência. Se os sonhos realmente têm algum significado, o nosso talvez seja esse: ainda não nos livramos totalmente daquilo que poderia ter sido.

Henrique Fendrich

Um comentário:

  1. Ele voltou!!! Nos deliciando (como sempre) com suas sutis pinceladas de vida em papel... Sonhos, durante o sono ou enquanto a vida passa, sempre deixam essa sensação do que poderia ter sido. Esse terrível vácuo do "e se"... O quanto poderíamos ser felizes se não fosse a preocupação com um depois que nem mesmo sabemos se existe...

    ResponderExcluir

Para contato, o email é vidanacronica@gmail.com