segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Som do



Marina Costa

No desenrolar da língua seca encontro minhas reticências interrogativas. Sem resposta. O gelo do copo alcoolizado refresca minhas dúvidas auto explicativas. Que pergunta? E na mente alterada pela claridade do rum emito sons que penso esclarecerem pensamentos tortos. Alguns só escutam. Outros pedem um gole. De vez em quando alguém responde. Olho bem nos olhos deste, vejo o reflexo do meu desentendimento e me pergunto: para onde?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para contato, nosso email é vidanacronica@gmail.com