quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Rotimeio

Marina Costa

Amarrei o cadarço e dei uma corridinha para terminar a crônica do dia antes do almoço. Mas, tendo ao meu lado a inimiga da perfeição, não saiu tema e faltou inspiração. Assim, olhando o relógio e contando os 8 minutos que me faltam, miro a pilha de papéis, a garrafa de água quente, a caneta marca texto e susurro pela janela para os passantes: admirável platéia urbana, em cena outra quarta feira, afinal. Esse meio de semana morteiro que vos apresenta, sem graça e sem sonhos. Está aqui, empurrando o início para longe do final e tentando nos consolar com um entremeio completamente desinteressante. Sem perspectivas. Suando de calor. Sem imaginação. Assim seguimos, caros espectadores, nessa vidinha dita urbana de uma modernidade delirante. Aguardando a liberdade fingida que vem com o depois de amanhã e morre na ressaca do domingo. Planejando a cara de canseira que virá sem pestanejar na próxima segunda feira. Senhoras e senhoras, divirtam-se. Eis a vida que vos espera dia após dia.

Um comentário:

  1. a rotina nos leva à experiência. À experiência, minha cara!

    ResponderExcluir

Para contato, nosso email é vidanacronica@gmail.com