sábado, 30 de julho de 2011

Snuggling


Marina Costa

Dia a toa, passeando solta pela cidade grande, sem relógio. Sem rumo. Passarinhos, flores roxas, no ouvido música boa. Solzinho de fim de tarde. Fechei os olhos. E a luz nas pálpebras cerradas deixou tudo laranja em tons lilás. Mente calada. Mas eu penso em gatos ronronando, sorrisos com vinho tinto, mãos dadas com a desculpa de afastar o frio. Pôr do sol. E por trás dos olhos fechados, entendo que vida é sensação. Amor, carinho, emoção. Ficar quietinha em colo quente sentindo cafuné no cabelo e sem pensar em adeus, deus, eu. Ele. Não há como descrever. Mas todo mundo já sentiu. Lembra aí.