domingo, 14 de agosto de 2011

Espontâneo




Marina Costa


Abre os olhos sorrindo e outra vez suspira de alegria. Sonhou com ele. Passa o dia na correria querendo que se vá logo o sol, desejando ver a face brilhante da mãe lua e depois do banho quente de chuveiro, fecha janelas e sopra as velas, cerrando os olhos aconchega o corpo. Abraçada ao travesseiro, vem o embalo do sono e as imagens não pensadas entram devagarzinho pelo vão da porta. Mais uma vez, árvores floridas e pedras lisas, onde as mãos se unem. Não há palavras, não venta, nem a chuva cai. Apenas uma luz brilhante dourando os rostos ternos e imóveis. A não ser pelo sorriso de contentamento, sempre certo. Ele estava ali, mais uma vez, a esperar por ela. E até que o sonho perca a graça pelas mãos da realidade, ela estará sempre feliz a sonhar com ele. Sem querer.

2 comentários:

  1. Oi Marina,
    Você não me conhece pessoalmente, mas no acaso de "Próximo blog" pude ler suas crônicas.
    :) Só queria deixar meu comentário registrado aqui.
    Monique.

    ResponderExcluir
  2. Ei Monique! Espero que tenha gostado!! Obrigada!

    ResponderExcluir

Para contato, o email é vidanacronica@gmail.com