domingo, 18 de novembro de 2012

Minimalismo


Pois e então que de manhã eu acordo assim, meio que com dó de mim.
Espano o pó dos olhos secos. Inspiro e sopro bufando o ar frio e parado ao meu redor.
Já é tempo de um novo sorriso, me diz a parede.
Café quente. Gato mia. Chuva a respingar.

A vida não vai esperar o findar do meu infinito pensar.

Marina Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para contato, nosso email é vidanacronica@gmail.com