sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

No natal


Tenho medo do papai noel, bebo muito espumante, como além da conta em uma tentativa gulosa de agradecer pela prosperidade de uma mesa cheia. No natal eu abraço mais as pessoas apesar de não gostar muito desse contato tão pessoal. No natal eu fico triste com tanta propaganda na tv anunciando coisas que ninguém precisa como se fossem essencial para a vida delas. Às vezes são e eu que não estou vivendo direito. Vai saber! Também não me agradam aquele mundo de luzinhas nas ruas, nas casas, nas árvores (pobres árvores, nem consultadas se poderiam servir de pisca pisca). A Dilma tentando reduzir nossa conta e chega o natal para estragar tudo. Mas o povo gosta né. Pelo menos pensa que. O legal do natal, para essa que vos escreve, é a reunião de família. O chato é que sempre tem o brigado e parece que a ausência dele é maior nessa época. Mas passa. E depois da ceia fica todo mundo com aquela cara de "fim de ano pois é". Outro vem aí. E a gente tem muito para andar. E a gente pensa nos que podem não estar mais aqui. E para onde eles vão, quando forem. A gente fica sem saber. Por isso o natal deixa todo mundo com essa cara de pensador melancólico. Deve ser porque é perto do fim do ano. Como se o nascer e por do sol tivesse fim. No natal eu penso que deveria talvez me mudar para o Polo Sul numa tentativa desesperada de fugir do natal. Resumindo, eu detesto natal. Pelo menos decretaram feriado. Sejam quais forem seus motivos, o bom convívio me manda desejar feliz natal. Bom, feliz todos os dias para você. 

Marina Costa

3 comentários:

  1. Eu sei que estou atrasada, sei que a produção caiu e me envergonho do meu desleixo junto a este blog-diário-confissões que tanto amo... Mas foi um ano tão lindamente terrível que... Isso é outra crônica!!

    ResponderExcluir

Para contato, o email é vidanacronica@gmail.com