segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Rio


Plantada na margem assisto petrificada correr nosso último fio. Meu galho até tenta alcançar suas gotas parcas mas falta fôlego em minhas folhas secas. Escorre corrente abaixo tua vontade e a minha. Em desespero, eu rio.

Marina Costa

* crônica originalmente postada com o título "Desrio". Não me pergunte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para contato, nosso email é vidanacronica@gmail.com